Buscar
  • Brutal Heavy Metal Store

Brutal Entrevista: Shylmagoghnar



A banda holandesa Shylmagoghnar concedeu uma entrevista exclusiva para o Blog da Brutal!

O multi-instrumentista Nimblkorg (guitarras, baixo, bateria, teclados, produção) se une a Skirge (vocais, letras, composições adicionais) em um Atmospheric black metal, com guitarras progressivas enraizadas em um death metal melódico, trazendo ao ouvinte um som melancólico e entregando em suas letras temas que abordam a existência humana em toda a sua beleza monumental e seus abismos.

Confira a entrevista abaixo e conheça esse trabalho incrível!

1 – Conte aos seus fãs brasileiros sobre como e quando a banda começou.

Nimblkorg: A banda Shylmagoghnar resulta do meu encontro com Skirge no ensino médio no início dos anos 2000. Nós compartilhamos muitos interesses em tudo, desde música a filmes, jogos, visões da vida, etc. Em algum momento, durante esses anos, comecei a tocar violão e Skirge já estava tentando escrever letras de metal na época, então nossa decisão de começar uma banda juntos era óbvia. Dito isso, os primeiros anos foram basicamente nós dois fazendo barulho juntos e lançando ideias um para o outro sem ter uma direção clara. As primeiras demos “reais” do que acabaria se tornando parte do nosso álbum de estreia “Emergence” começaram a tomar forma por volta de 2003/2004 (algumas delas ainda estão circulando no Youtube). Então, infelizmente, a vida entrou no caminho, o que deixou o projeto em segundo plano por quase uma década. Em 2012 retomamos de onde paramos e finalmente demos o impulso necessário para o lançamento de um álbum completo produzido por nós mesmos. Finalmente chegamos a um ponto em que nos sentimos confiantes no que havíamos criado, e o “Emergence” nasceu.

Sobre o nome da banda: é um nome imaginário que criamos com sílabas que nos atraem pessoalmente (Shyl, Ma, Gogh, Nar). Parece bizarro – quase como um encantamento. Esperamos que a fantasia do ouvinte seja incentivada a criar seu próprio significado da palavra enquanto ouve a música. Temos nossas próprias ideias individuais sobre o que o nome significa, que mantemos em segredo até um para o outro.

2 – Explique-nos como funciona o processo de composição/criação de suas músicas e letras. Há alguma mensagem que você deseja enviar?

Com exceções ocasionais, geralmente escrevemos a música primeiro e as letras depois, comigo geralmente escrevendo a música e Skirge a letra.

É sempre um processo extremamente interativo. Praticar em seus instrumentos, tocar e aprender um pouco de teoria musical é, naturalmente, inestimável. No entanto, acho que a mente subconsciente é a ferramenta mais poderosa disponível para a solução criativa de problemas. Alimente-o com qualquer problema e ele emitirá uma resposta mais cedo ou mais tarde, desde que você seja paciente e persistente. É muito parecido com quando você está tentando se lembrar de algo, mas quanto mais você tenta, mais impossível se torna. Semanas depois, você está fazendo algo completamente não relacionado e, de repente, a resposta o atinge do nada. Eu confio muito nesse método para a banda. Se eu quiser escrever uma música sobre um determinado tema, fico obcecado por um tempo e tento trazê-la para o primeiro plano dos meus pensamentos repetidamente por um longo período. Rejeito a maioria das ideias musicais básicas que surgem imediatamente neste momento, porque sinto que elas geralmente não são muito inspiradas. Isso causa irritação, o que coloca o subconsciente para trabalhar. Muitas vezes, uma tradução melódica do conceito repentinamente entra na minha cabeça em algum momento. Percebi que especialmente os sonhos e os momentos antes e depois de adormecer são uma mina de ouro para isso. Quanto mais você se mantém ocupado com qualquer assunto, mais criativas serão as soluções do seu subconsciente.

Depois que as pedras angulares de uma música são reunidas dessa maneira, eu as componho por meios mais convencionais. Adicionando jams e ideias antigas de riffs, a teoria da música ajuda a suavizar os movimentos da música, e vou tentando diferentes mudanças de ritmo e vendo como fica. Geralmente, leva algum tempo até que eu esteja realmente feliz com o resultado.

Quando acho que uma música não precisa de mudanças drásticas, envio uma demo para o Skirge, que então escreve as letras através do que eu imagino ser um processo semelhante. Sua primeira versão de uma letra raramente é a que acaba no álbum. Nós dois nos importamos muito em fazer um álbum parecer coerente do começo ao fim.

Uma vez que toda a letra está pronta, tudo é gravado em minha casa, onde eu mixo e masterizo o álbum depois.

Quanto a uma mensagem, acho que estamos buscando principalmente fazer com que o ouvinte sinta que está fazendo uma jornada pessoal. Existem pontos altos e baixos e você pode ter que enfrentar alguns demônios antigos, mas eventualmente tudo isso é necessário para poder crescer ou superar barricadas. É claro que temos nossa própria ideia de onde a jornada está levando com cada álbum, mas não queremos forçar os detalhes sobre o ouvinte. Ouvimos pessoas dizerem que imaginam montanhas e dragões, enquanto outros têm visões de altitude através do espaço e ou dimensões diferentes. Não importa para onde você está indo, desde que isso o ajude de alguma forma.

3 – Como é o processo de criação nesse período de pandemia? Como o isolamento está funcionando para vocês?

Isso tem sido estranho. Para mim, pessoalmente, não mudou muita coisa – estou lutando com problemas crônicos de saúde mental desde o início da banda e, como resultado, estou praticamente isolado há uma década. Também prefiro quando as pessoas mantêm distância de mim. Em outras palavras, a coisa toda da quarentena não é novidade para mim. No entanto, houve um impacto no mundo ao meu redor, é claro. Muitas pessoas mais velhas da minha cidade têm um medo mortal de deixar suas casas há meses, o que eu posso imaginar que deve ser horrível para eles. Isso também causa estresse na economia local e não somos exceção. Por enquanto, tivemos que fechar nossa loja física, pois havia muitos pedidos presos no país errado. Uma quantidade substancial de nossos fãs vive em cantos distantes do mundo, portanto, é uma enorme dor de cabeça. Atualmente, estou aguardando que o envio para outros continentes se torne confiável novamente, para que possamos reabrir.

Isso também impediu Skirge e eu de nos encontrarmos por um tempo agora. Skirge mudou-se para a Polônia depois que terminamos o nosso segundo álbum, “Transience”, enquanto eu ainda permaneço na Holanda. Não é necessariamente um grande problema para nós, porque grande parte de nosso intercâmbio criativo sempre foi por telefone/email/mensagens. Em seguida, nos encontramos pessoalmente sempre que ele viaja de volta à Holanda durante as férias para visitar sua família e amigos aqui. A última vez que planejamos fazer isso foi logo no início da crise, e como a Polônia estava adotando medidas de segurança com bastante rapidez no momento, julgamos mais prudente adiar nossa reunião. Nós não nos vimos desde então.

O processo criativo para mim está indo muito bem, apesar de tudo isso. Desde o início, nosso plano era fazer pelo menos uma trilogia de álbuns, e agora que os dois primeiros estão gravados, o terceiro quase parece se escrever sozinho. Definitivamente, não estou lutando com a falta de novas ideias – e na verdade, o oposto é verdadeiro. Como mencionado anteriormente, muito do meu tempo agora é destinado para condensar essas ideias no que parece ser um álbum orgânico, em conformidade com os dois anteriores, mas ao mesmo tempo fazendo algo próprio. As músicas estão sendo escritas, reescritas ou jogadas no lixo, dependendo do que o álbum precisa. Só espero poder me encontrar com Skirge novamente em breve para compartilhar ideias e emoções com ele pessoalmente. Sempre fomos bons em ficar empolgados quando falamos sobre todos os tipos de conceitos extraterrestres e os colocamos na música. Uma sessão louca de divagações entre nós dois está atrasada.

4 – Algum lançamento de material novo planejado? Ainda não é oficial, mas provavelmente não é surpresa para ninguém que nos segue que algo novo está em andamento. Como sempre, não faremos nenhuma estimativa de lançamento até que realmente sintamos que vale a pena lançar o álbum. Ainda há muito trabalho a ser feito. Eu tenho um bom pressentimento sobre isso!

5 – Deixe um recado para seus fãs no Brasil! Espero que todos vocês estejam bem e que o metal esteja ajudando vocês a permanecerem fortes! Muito obrigado pela leitura, espero que tenham gostado das respostas. E se é a primeira vez que você ouve falar sobre nós, nos ouça! Nossos álbuns “Emergence” e “Transience” podem ser totalmente ouvidos em nosso canal do YouTube: http://youtube.com/shylmagoghnar. Aproveite e desejamos tudo de bom da Holanda para o Brasil!

Para quem quiser conhecer e acompanhar a banda, abaixo estão os links para as redes sociais:

http://youtube.com/shylmagoghnar

Facebook: https://www.facebook.com/Shylmagoghnar/

Spotify: https://open.spotify.com/artist/0sfWl1dWLgEtMy9oFnNoDA?si=mYqqj1PDS0CYhKH3_XIuiQ


1 visualização0 comentário

Siga

  • Facebook ícone social
  • Pinterest

Contato

(42) 3027-1260

whatsapp (42) 98863-5025

Endereço

R. Dr. Paula Xavier, 1486 - Centro, Ponta Grossa - PR, 84010-270, Brasil

CNPJ 28.731.607/0001-60

©2018 by Brutal Heavy Metal Store