Buscar
  • Brutal Heavy Metal Store

Entrevista – Banda Mythologyca fala sobre o início da banda e lançamentos


Leia a entrevista exclusiva com Marco Bührer, vocalista da banda paranaense Mythologyca!

Como surgiu a banda, como foi que tudo começou?

Eu e o Vika (guitarrista) somos primos, mas não éramos “chegados” até descobrirmos nosso mútuo amor pelo Heavy Metal. Em meados de 2016 eu ainda fazia parte do Beltane, banda que fundei em 1996, mas no começo de 2017 eu e o Vika tivemos a ideia do Mythologyca. Em abril do mesmo ano saí do Beltane e em 02 de maio de 2017 lançamos oficialmente o Mythologyca. No dia 13 de julho (dia internacional do Rock) lançamos nosso primeiro single, a canção Wandering, em todas as plataformas digitais. Ainda não havíamos formado o restante da banda e no mesmo ano recrutamos Tarlis Vince como baixista, André Mares como baterista e Giovanni Vicentin nos teclados. Trabalhamos o restante do ano e o começo de 2018 na produção de nosso primeiro álbum LADY OF THE CROWS que lançaríamos em 13 de julho (novamente dia internacional do Rock) do mesmo ano.

Sobre os materiais já lançados, como as pessoas podem encontrá-los?

No momento temos o single da música “Wandering” e o álbum “Lady of the Crows” em todas as plataformas digitais (Deezer, Spotify, Amazon, iTunes, YouTube, etc). O álbum “Lady of the Crows” também está disponível em formato de CD, sendo comercializado diretamente com a banda e nas melhores lojas do gênero.

Fale sobre o processo de criação: como vocês escrevem as músicas e qual a mensagem que a banda quer passar?

Nossas letras tem a intenção primeiramente de divertir quem ouve, segundamente (existe essa palavra?) passar uma mensagem positiva. Geralmente, eu mostro pro Vika uma letra e melodia que compus e ele complementa com os riffs e os arranjos. Mas também ocorre do Vika me mostrar um riff e eu adicionar posteriormente letra e melodia. Em nosso próximo álbum também teremos uma faixa que foi composta pelo tecladista e por mim. Ele me mandou a harmonia pronta e no mesmo dia eu já tinha a melodia e a letra. Nosso pacto desde o começo da banda era não bloquear o processo criativo, o que aparecesse seria bem vindo, fato que você pode conferir em nosso álbum de estreia, pois não seguimos um padrão ou estilo determinado.

Na opinião de vocês, como está o atual momento do Metal Nacional?

Vemos com bons olhos, nunca tivemos tantas facilidades, musicalmente falando, acesso a instrumentos de qualidade e tecnologia, bem como meios de divulgação do trabalho. O Metal nacional, talvez o mundial também, nunca foi mainstream, somos underground e ouso dizer que gostamos disso. O que talvez tenha faltado ultimamente é o engajamento do público nos shows. Talvez a facilidade de ver e ouvir tudo online e a grande quantidade de shows tenha dispersado um pouco o público. Mas eu sinto que esse momento de isolamento – devido à pandemia – que estamos vivendo está deixando o público do Metal (e até de outros estilos de música) sedento por ver as bandas ao vivo, de ir aos shows para ver os amigos e tomar uma bera, participar dos eventos mesmo que a banda não seja a sua predileta, mas estar presente porque ali está sua tribo. Espero dias melhores para o Metal pós Corona vírus! (risos)

Vocês estão preparando alguma novidade? Conte para a gente alguns detalhes!

Sim, estamos gravando “caseiramente” uma música que fala sobre o poder da amizade, o que tem tudo a ver com esse momento de isolamento social, onde estamos separados fisicamente dos amigos e com muita saudades. Ela vai ser lançada nas próximas semanas. Faremos um vídeo clip que contará com a participação de (quase) todo mundo que esteve com a gente desde o começo, quem sempre nos apoiou comprando nosso merchandising, indo aos shows e nos acompanhando de perto nas redes sociais.

Deixe uma mensagem para nosso leitor em nome da banda!

Usem máscara, evitem aglomerações e ouçam muito Metal! E assim que essa m* toda passar estaremos todos felizes batendo cabeça e bebendo juntos em um show por aí!!!!

Mythologyca is: Marco Bührer – vocais Vika Viante – guitarra Tarlis Vinci – baixo André Marés – bateria Giovanni Vicentin – teclados



1 visualização0 comentário