Buscar
  • Brutal Heavy Metal Store

KILLSWITCH ENGAGE: vocalista nunca gostou do termo Metalcore


Simon Takla, da PBS Metal Genesis, recentemente conduziu uma entrevista com o frontman Jesse Leach, da banda de Massachusetts KILLSWITCH ENGAGE.


Os shows do 15° aniversário do "Alive Or Just Breathing" validaram seu retorno para a banda?


Jesse: "Eu acho que houve muitos momentos que me lembraram o quão sortudo eu sou por estar de volta à banda, mas com certeza, especialmente com esse álbum, as pessoas ainda olham para ele e o veem como um registro de referência para nós." Estou realmente honrado por isso. Eu não fiz a turnê no primeiro ciclo de álbuns, então foi ótimo voltar e tocar a coisa toda do começo ao fim. "


O KILLSWITCH ENGAGE está atualmente no processo de reduzir as 21 músicas que foram escritas para o próximo álbum de estúdio que deve ser lançado em 2019?


Jesse: "Nós vamos cortar e descobrir o que vamos fazer com as músicas extras. Nós só queremos fazer o melhor disco que pudermos e imaginamos: porque não escrever um monte de músicas e escolher as melhores músicas para que o álbum seja o melhor possível?"


Como o KILLSWITCH mantém as coisas no estúdio com uma linha musical central de uma banda que está junta há vários anos?


Jesse: "Todo mundo coloca pressão em si mesmo, para tentar criar algo novo. Essa é a beleza dessa banda; todo mundo dá tudo o que tem. Nós fazemos isso um para o outro, todos se ajudam. É ótimo, porque não parece um chapéu velho ou uma rotina. Não parece que alguém está amargo, cansado e aborrecido, o que tende a acontecer em uma carreira. Todo mundo está tentando empurrar a banda e lançar a melhor música que podemos mesmo depois de todos esses anos ".


Sobre as diferenças de personalidade entre ele e o guitarrista / produtor Adam Dutkiewicz:


Jesse: "Adam é um músico altamente treinado e inteligente que lê música e entende a linguagem da música. Eu sou um roqueiro punk. Algumas das minhas bandas favoritas tocam três acordes e realmente não cantam muito, então eu entro com paixão, energia, caos e eu não leio música e não sei se uma nota é correta ou não, só estou entrando e cantando visceralmente. Eu acho que quando nós convergimos e nos juntamos, nos complementamos um ao outro. Ele vem para polir minhas arestas e me ajudar a ver como a música poderia ser melhor se fizermos dessa forma por causa da teoria da música. Então eu também posso dizer a ele, 'Se solte um pouco! Talvez essa parte deva ser mais imperfeita para que as pessoas possam sentir.' É um pequeno equilíbrio que temos e acho que funciona bem. "


Sobre se foi difícil para a KILLSWITCH conquistar os fãs do IRON MAIDEN durante seu recente suporte nos shows para a lendas do metal britânico:


Jesse: "Sim, deu muito trabalho, com certeza. Mas eu acho que é bom para uma banda como nós perceber que ainda há muito mais pessoas para conquistar. Houve noites que foram mais difíceis do que outras mas acho que no final do set nós conquistamos os fãs que não tinham certeza, o público da MAIDEN é muito antigo, então a partir do momento em que pisei no palco e comecei a gritar, você pode ver no rosto das pessoas, tipo ' Aqui vamos nós, tenho que passar por isso.' Felizmente, nós conquistamos o público. Nós fizemos o nosso melhor e nos saímos bem. "


Sobre o que ele acha do termo "metalcore":


Jesse: "Eu nunca gostei do termo 'metalcore'. Eu não acho que seja uma representação precisa da grande variedade de bandas que são agrupadas nessa categoria, mas eu entendo: as pessoas têm que categorizar as coisas e colocá-las em sua própria categoria, para que possam descrever as coisas para outra pessoa. Gostaria de dizer que somos mais de uma banda de metal. Mas as pessoas vão usar esse termo, quer eu goste ou não. "


E como foi a parceria com o ex-vocalista do KILLSWITCH, Howard Jones, para um dueto no próximo álbum de estúdio da banda?


Jesse: "Foi divertido. Eu não tive muito tempo, então ele veio e cantou o que eu escrevi, mas eu escrevi a música com ele em mente, mesmo antes de mencionar o que eu gostaria que ele fizesse. Foi muito legal ficar do lado de fora da sala do estúdio e ouvi-lo cantar o refrão. Eu estava ficando com calafrios. Foi ótimo. Desde essa experiência, somos realmente bons amigos e amigos próximos. Nós nos falamos muito por telefone. É incrível ver onde ele está agora com sua nova banda, LIGHT THE TORCH. Estou super orgulhoso dele e ele superou muitos obstáculos. Que incrível vocalista."


O próximo disco do KILLSWITCH ENGAGE será lançado pela Metal Blade Records nos EUA e pela Sony Music Entertainment no resto do mundo.

19 visualizações0 comentário

Siga

  • Facebook ícone social
  • Pinterest

Contato

(42) 3027-1260

whatsapp (42) 98863-5025

Endereço

R. Dr. Paula Xavier, 1486 - Centro, Ponta Grossa - PR, 84010-270, Brasil

CNPJ 28.731.607/0001-60

©2018 by Brutal Heavy Metal Store